sexta-feira, Julho 26, 2013

Visitar a Orla marítima de Santa Clara



Uma viagem de barco, pretexto para mostrar com detalhe a orla marítima de Santa Clara, foi a forma encontrada pelo Grupo de Cidadãos “Santa Clara – Vida Nova” para fazer a apresentação da lista com os seus candidatos às próximas eleições.
Logo que a embarcação passou “a fronteira” nascente de Santa Clara – linha imaginária que ia do barco até ao enfiamento da Rua João do Rego, atravessando parte significativa dos “Tanques do Óleo” – começou a cantar-se uma música improvisada em 2005, que se mantém “no ouvido” do grupo e se vai adaptando a cada um dos “cabeças de lista” (para “Santa Clara – Vida Nova” renovar é uma marca), musiqueta que já é quase “um hino” de campanha, baseada na seguinte quadra: Santa Clara ser autarquia/Pra muitos foi boa nova/e p’rá Junta de Freguesia/e p’rá Junta de Freguesia/"Santa Clara Vida – Nova"!
Não obstante a alegria contagiante do grupo, olhar a costa recordou Gaspar Frutuoso, que ali bem podia servir de guia: Além, pouco espaço da Fortaleza para loeste, está uma ponta que se chama dos Algares [esta ponta é a mesma onde hoje estão os “Tanques do Óleo] (…) Defronte da qual está um baixo, entre o qual e terra passam barcos, e logo está uma pequena baía de areia [o popular “Calhau da Areia”], defronte das casas do em tudo grandioso Francisco Arruda da Costa [algures onde hoje está a “arco 8/arribanas”], merecedor de grandes coisas, por toda a sua indústria, e com grande custo seu cercada de muros e cubelos, com sua porta para o mar, tudo muito defensável, e pegado com a porta, chamada de Santa Clara, por ali estar a igreja paroquial desta Santa, onde se acaba a principal costa da cidade, ( … )”.
Fundeados simbolicamente em frente à “ponta da sardinha”, assim é popularmente conhecida em Santa Clara a “ponta delgada e rasa que deu nome a Ponta Delgada”, em clima informal foram feitas as comunicações da praxe e apresentados os candidatos, sendo o grupo saudado de terra por um animado grupo de santaclarenses que “na beira da rocha” acenavam braços e bandeiras.

A viagem continuou até à extrema poente da freguesia, agora ao som de uma excelente interpretação do jovem talentoso Luís Abrantes, que a todos presenteou com um excerto da sonata opus 15 de Mauro Giuliani, o que não podia ter sido melhor escolhido, dada a feliz combinação com o som ambiente (mar/vento/motor do barco) e a tranquilidade e confiança que inspirava. O barco deu meia volta junto ao enfiamento da “grota da Nordela”, iniciando assim o percurso de regresso, não deixando na volta de voltar a ser efusivamente saudado pelo grupo de terra, que ali aguardou até à reunião de todos, os de bordo e os de terra, o aconteceu pelas 20:30, prolongando-se o convívio um pouco mais, com o agradável aroma da maresia tornando muito agradável aquele fim de tarde “à beira mar”!

terça-feira, Maio 28, 2013

Casa cheia: com a cidadania em prol da freguesia








  SANTA CLARA–PONTA DELGADA

Orago: Santa Clara de Assis
Área: 2,37 km2
População: 3400 habitantes

ORDENAÇÃO HERÁLDICA

Brasão

         Escudo de vermelho, uma custódia de ouro entre dois quinquefólios de prata. Coroa mural de prata com três torres aparentes. Listel branco com a legenda a negro, em maiúsculas: «SANTA CLARA – PONTA DELGADA»

BANDEIRA

         Esquartelada de branco e vermelho. Cordão de borlas de prata e vermelho. Haste e lança de ouro.

SELO BRANCO

         Circular, com as peças do escudo sem a indicação de cores e metais, tudo envolvido por dois círculos concêntricos, onde corre a legenda: «JUNTA DE FREGUESIA DE SANTA CLARA – PONTA DELGADA».

  
SIMBOLOGIA

A custódia é o atributo de Santa Clara de Assis (1193-1243) que, ao mostrá-la com o Santíssimo Sacramento aos muçulmanos que assediavam o Convento Franciscano de S. Damião, pô-los em fuga.

Os quinquefólios aludem à flor do pau-ferro e simbolizam o predominante pendor santaclarense para o labor industrial, manifestado ao longo da sua história em diversas actividades:

Antigas: Moagem de cereais, exploração das pedreiras da Mata da Doca; matadouro municipal, secagem de bacalhau, fabrico de conservas, reciclagem de papel e lacticínios.
Actuais: fabrico de açúcar e secagem de tabaco.

O Ouro - constância e vigor;

A prata - esperança e verdade;

O Vermelho - esforço, firmeza e valor.

                                                        Autoria:

                                                                                              José Alfredo Ferreira Almeida

sábado, Maio 25, 2013

Santa Clara Vida Nova - Para ver e ouvir a partir do minuto 17.

É só "clikar" no link. Para ver só o que nos interessa pode-se "acelarar" até ao minuto 17 (início do 2/3 da peça)

Telejornal - Açores de 23 Mai 2013 - RTP Play - RTP


quinta-feira, Maio 23, 2013





SANTA CLARA – VIDA NOVA

Comunicação em CONFERÊNCIA DE IMPRENSA: 23 de Maio de 2013

Como muitos sabem, o Grupo Santa Clara-Vida Nova é um grupo independente de cidadãos que, sendo aberto, integra no seu seio pessoas de várias tendências ou sem qualquer filiação partidária unidas pelo objectivo comum da luta pelo progresso social, económico e cultural da Freguesia Santa Clara.
O Grupo Santa Clara-Vida Nova é ele próprio uma emanação do Movimento que promoveu a criação desta Freguesia e que desde as primeiras eleições para os seus órgãos autárquicos, visando recuperar o atraso generalizado em que a mesma se encontrava, votada praticamente ao abandono na sua condição de periferia urbana da cidade, procurou junto de todas as forças políticas mais representativas demonstrar a necessidade de existir uma união de esforços em que prevalecesse um projecto de cidadania sobre quaisquer outros interesses político-partidários, resultando daí uma candidatura independente de cidadãos.
Lamentando, apesar da permanente insistência junto dos seus responsáveis, não ter conseguido agregar a este esforço conjunto o PSD, o Grupo Santa Clara-Vida Nova agradece a todas as outras forças políticas: BE, CDS-PP, PCP e PS, as quais prescindindo de apresentar listas próprias para os órgãos autárquicos de Santa Clara, acreditaram e acreditam neste projecto de cidadania desde o início.
E assim, sem outras pressões sobre si que não as dos Santaclarenses, com cuja participação sempre contou e cuja confiança em si depositada desde há praticamente 8 anos profundamente agradece, o Grupo Santa Clara – Vida Nova, com a vitória conseguida em dois actos eleitorais consecutivos, tem vindo a assumir a direcção dos órgãos autárquicos da Freguesia, levando assim por diante, de acordo com o seu projecto, um importante conjunto de obras emblemáticas.
            Deste conjunto se destacam 3 objetivos como já tendo sido integralmente conseguidos: o arranjo da Príncipe de Mónaco, incluindo a construção da sua rotunda, a construção do Jardim Padre Fernando e o reordenamento de toda a circulação viária e pedonal na zona do Ramalho.
           Apesar de todos os esforços até à data desenvolvidos pela Junta, pela Assembleia de Freguesia e pelos seus cidadãos, esforços esses reconhecidos por todos e que permanecem ainda em curso, não se conseguirá certamente até à data das próximas eleições autárquicas, atingir totalmente outros três dos objectivos estratégicos para a freguesia e que são da deslocalização dos depósitos de combustível da Bencom (a qual, embora em curso, foi atrasada para 2014), da demolição, limpeza e construção de equipamentos na zona do antigo Matadouro e da requalificação da segunda Rua de Santa Clara.
         Resolver estas três questões, ao fim e ao cabo terminar o que falta do nosso compromisso de 2005 seria desde logo uma razão de peso para uma terceira candidatura do Grupo Santa Clara – Vida Nova!
Tendo em conta os diferentes poderes públicos responsáveis (Câmara Municipal e Governo Regional) com que a Junta de Freguesia continuará a ter de lidar para chegar à concretização destes três objectivos, e tendo em conta a nova e titânica tarefa de preservar a continuidade da existência da freguesia enquanto tal, torna-se em nosso entender útil e necessário, pelo reforço de influência que isso significa, salvaguardar, como até agora tem sido possível, a independência político-partidária dos órgãos autárquicos da Freguesia de Santa Clara perante esses dois órgãos do poder e todos os outros aos quais for necessário recorrer.
A tudo isso acresce a constante a pressão de muitos Santaclarenses para que a sua Junta de Freguesia continue a ser governada por um grupo de cidadãos independentes, estimulando o Grupo Santa Clara – Vida Nova a candidatar-se às próximas eleições autárquicas para os órgãos da freguesia.
Como nota final, e porque o projecto Santa Clara – Vida Nova é muito mais rico do que as obras já executadas ou a executar, permitam que simbolicamente destaquemos duas outras realizações que nos orgulham e provam o valor do projecto de cidadania que incorporamos:
No 1º mandato, o empenho nas questões fundacionais da Freguesia, culminando num processo de ordenação heráldica por todos louvado e que muito orgulha os Santaclarenses;
No 2º mandado a tão tenaz quão competente luta pela manutenção da freguesia, enfrentando os fortes e obcecados poderes que então se levantaram, alguns até dissimulados na manutenção de todas as freguesias rurais dos Açores, “já que acabar com algumas, estas seriam urbanas”!
Assim sendo, após mais uma vez ter ficado expressa a vontade do BE, CDS-PP, PCP e PS (apenas com a não adesão formal do PSD à última da hora) de desistirem de apresentar listas aos órgãos autárquicos da Freguesia de Santa Clara a favor da apresentação de uma lista independente de cidadãos, vem o Grupo Santa Clara – Vida Nova anunciar a todos os interessados e em particular aos Santaclarenses que deliberou apresentar a sua candidatura ao terceiro mandato à frente da Junta de Freguesia, para dar continuidade ao estimulante projecto de luta pelo progresso social, económico e cultural da Freguesia Santa Clara, pela sua continuidade futura como Autarquia, e pela concretização dos objectivos estratégicos com os quais desde o início se comprometeu, desejando para esse trabalho continuar a poder contar não só com o empenhamento dos membros da Junta e da Assembleia, como também, tal como até agora, com a colaboração voluntária ativa, concreta e quotidiana de muitos outros cidadãos, e sobretudo com a confiança reforçada da maioria dos eleitores Santaclarenses.

Vai haver Santa Clara – Vida Nova pela terceira vez!
VIVA a Freguesia de Santa Clara!
LONGA VIDA para a Freguesia de Santa Clara!

quinta-feira, Agosto 11, 2011

Tesourinho deprimente de Berta Cabral


É interessante relembrar o que a Dra. Berta Cabral disse em 2009 na altura de campanha eleitoral, prometeu novamente aquilo já havia prometido em 2005, a requalificação da 2ª Rua de Santa Clara e a resolução do problema da falésia. E atenção que Santa Clara não quer só a falésia solucionada, a 2ª Rua precisa de intervenção do inicio ao fim.
Entretanto estamos em 2011, o movimento de cidadãos Santa Clara - Vida Nova celebrou o quinto aniversário de vida dos bidões que delimitam a área perigosa da falésia e parece que a obra já arrancou, foi feita, e está concluída... mentira... o que passou foi que alguém decidiu por uns funcionários a limpar o chão, alinhar os bidões e cortar a relva... nem os bidões são novos, foi mesmo realinhar para ficar mais bonito...



Já agora caso estivessem distraídos, Berta Cabral no seu discurso menciona que irá realizar obras na escola do Ramalho, também era interessante saber onde foram feitas as obras...

Aqui está uma foto actualizada dos bidões depois da intervenção de requalificação dos mesmos... tudo na mesma, só que mais alinhados...

sábado, Agosto 06, 2011

Álbum de más recordações: promessas não cumpridas

"Clikando" sobre cada um dos slides, estes ampliam permitindo melhor leitura

























































E pelo que se ouviu no telejornal de hoje (06/08/2011)"a promessa" ganhou uma outra variante, e já voltou a ser empurrada "prá frente": resta saber para quando e para quem!


quarta-feira, Dezembro 02, 2009

Brio, primazia, e sempre fazendo a diferença



Uso que Santa Clara - Vida Nova deu ao espaço/auditório entre 2006 e 2009
O espaço/auditório durate os últimos meses de 2009
.
A Assembleia Municipal de Ponta Delgada reuniu na passada segunda feira, pela primeira vez em toda a sua história, em Santa Clara.
Como se isso, só por si, já não fosse motivo digno de registo, há ainda a acrescentar o facto de na primeira Assembleia Municipal do presente mandato, a primeira que teve Santa Clara como local de acolhimento, o primeiro documento votado, que recolheu a unanimidade e a aclamação dos presentes, foi apresentado por Ricardo Leite, presidente da Junta de Freguesia anfitriã.
E, não se pense que o documento em causa era cabalmente simpático: É que o Voto de Congratulação ali apresentado, além de registar o regozijo pelo decorrer daquele momento histórico, não deixava de aludir ao enorme atraso verificado na inauguração de um empreendimento já usado como “arma eleitoral” desde 2005. E fazia-o desejando que aquele representasse um momento de mudança, da reviravolta tão desejada no relacionamento da CMPD com Santa Clara, onde é desejável assistir a significativas alterações de procedimento – “cooperação não é submissão”; onde foi que já ouvi isso? – pois não obstante pomposos e vistosos anúncios, têm sido sucessivos os adiamentos, e enormes as delongas, nas obras tidas por cruciais para a freguesia.
Que o digam aqueles que, também desde 2005 – se não mesmo antes –, fizeram fé no “mãos à obra”, ou no “prometo e cumpro”, naquilo que à requalificação da 2ª Rua de Santa Clara disse respeito!
.
.
E agora sim, eis o auditório (ver mais aqui):faça "page down" na página da RTP para ver o video)